Lançamento | Homenagem aos Imortais da Academia Brasileira de Letras


Sobre o Selo

As fotos de ambos Imortais da ABL foram trabalhadas digitalmente para refletir um tom quase dourado. Foi aplicado o ex-libris da ABL em vetor, com único toque em cor verde no centro da composição e os nomes inseridos em faixas idênticas, ressaltadas por suave sombra para dar destaque. Fundo nos mesmos tons, equilibrando e unificando os elementos, criando um conjunto sóbrio que foi cuidadosamente pensado, tanto do ponto de vista da composição quanto do esquema cromático.

As técnicas utilizadas foram fotografia e computação gráfica.


Homenagem aos Imortais da Academia Brasileira de Letras – ABL

Os Correios tem a honra de homenagear em Selos Postais dois imortais fundadores das cadeiras 23 e 27 da Academia Brasileira de Letras – ABL, os ilustres da literatura brasileira: Machado de Assis e Joaquim Nabuco. Machado de Assis Joaquim Maria Machado de Assis, jornalista, contista, cronista, romancista, poeta e teatrólogo, nasceu no Rio de Janeiro/RJ, em 21 de junho de 1839, e faleceu, também, no Rio de Janeiro, em 29 de setembro de 1908. É o fundador da Cadeira n.º 23 da Academia Brasileira de Letras. Velho amigo e admirador de José de Alencar, Machado o escolheu para seu patrono. Ocupou por mais de dez anos a presidência da Academia, que passou a ser chamada também de Casa de

Machado de Assis. O primeiro livro publicado por Machado de Assis foi a tradução de Queda que as mulheres têm para os tolos (1861). Seu primeiro livro de poesias, Crisálidas, saiu em 1864. Em 1867, foi nomeado ajudante do diretor de publicação do Diário Oficial. Em 12 de novembro de 1869, casou-se com Carolina Augusta Xavier de Novais, que foi sua companheira perfeita durante 35 anos. Colaborou na Revista Brasileira, e, do grupo de intelectuais que se reunia na redação, surgiu a ideia da criação da Academia Brasileira de Letras, projeto que Machado de Assis apoiou desde o início. Comparecia às reuniões preparatórias e, no dia 28 de janeiro de 1897, quando se instalou a Academia, foi eleito presidente da Instituição, à qual se devotou até o fim da vida. A obra de Machado de Assis abrange, praticamente, todos os gêneros literários. Na poesia, inicia com o romantismo de Crisálidas (1864) e Falenas (1870), passando pelo Indianismo em Americanas (1875) e parnasianismo em Ocidentais (1901). Paralelamente, apareciam as coletâneas de Contos fluminenses (1870) e Histórias da meia-noite (1873); os romances Ressurreição (1872), A mão e a luva (1874), Helena (1876) e Iaiá Garcia (1878), considerados seu período romântico. A partir daí, Machado de Assis entrou na grande fase das obras-primas, que fogem a qualquer denominação de escola literária e que o tornaram o escritor maior das letras brasileiras e um dos maiores autores da literatura de língua portuguesa. A obra de Machado de Assis foi, em vida do autor, editada pela Livraria Garnier, desde 1869. Em 1937, W. M. Jackson, do Rio de Janeiro, publicou as Obras completas, em 31 volumes. Raimundo Magalhães Júnior organizou e publicou, pela Civilização Brasileira, os seguintes volumes de Machado de Assis: Contos e crônicas (1958); Contos esparsos (1956), Contos esquecidos (1956), Contos recolhidos (1956), Contos avulsos (1956), Contos sem data (1956), Crônicas de Lélio (1958) e Diálogos e reflexões de um relojoeiro (1956). Joaquim Nabuco Joaquim Aurélio Barreto Nabuco de Araújo, escritor e diplomata, nasceu no Recife/PE, em 19 de agosto de 1849, e faleceu em Washington, EUA, em 17 de janeiro de 1910. Compareceu às sessões preliminares de instalação da Academia Brasileira, fundador da Cadeira n.º 27, que tem como patrono Maciel Monteiro. Designado secretário-geral da Instituição na sessão de 28 de janeiro de 1897, exerceu o cargo até 1899, e de 1908 a 1910. Era filho do Senador José Tomás Nabuco de Araújo e de Ana Benigna Barreto Nabuco de Araújo. Em 1865, seguiu para São Paulo, onde fez os três primeiros anos de Direito e formou-se no Recife, em 1870. Foi Adido de Primeira Classe em Londres, depois em Washington, de 1876 a 1879. Atraído pela política, foi eleito deputado geral por sua província, vindo então a residir no Rio. Sua entrada para a Câmara marcou o início da campanha em favor do Abolicionismo, que logo se tornou causa nacional. De 1881 a 1884, Nabuco viajou pela Europa e, em 1883, em Londres, publicou O Abolicionismo. De regresso ao país, foi novamente eleito deputado por Pernambuco, retomando posição de destaque da campanha abolicionista, que cinco anos depois seria coroada de êxito. Ao ser proclamada a República, em 1889, permaneceu com suas convicções monarquistas. Retirou-se da vida pública, dedicando-se à sua obra e ao estudo. Nessa fase de espontâneo afastamento, frequentava a redação da Revista Brasileira, onde estreitou relações de amizade com Machado de Assis, de cujo convívio nasceria a Academia Brasileira de Letras, em 1897. Nesse período, Joaquim Nabuco escreveu duas de suas obras mais importantes: Um Estadista do Império, biografia do pai, mas que é, na verdade, a história política do país naquele período, e um livro de memórias, Minha formação, obra clássica de literatura brasileira. Em 1901, era acreditado em missão ordinária, como embaixador do Brasil em Londres e, a partir de 1905, em Washington. Grande era o seu prestígio perante o povo e o governo norte- -americanos. Faleceu em Washington. Seu corpo foi conduzido, com solenidade excepcional, para o cemitério da capital norte- -americana e depois trasladado para o Brasil no cruzador North Caroline.

Marco Lucchesi

Presidente da Academia Brasileira de Letras


Detalhes Técnicos

Edital nº 12

Arte: Lidia Marina Hurovich Neiva/Correios

Acervo de fotos: Academia Brasileira de Letras - ABL

Processo de Impressão: ofsete

Papel: cuchê gomado

Folha com 12 selos

Valor facial: 2º Porte Carta Não Comercial

Tiragem: 120.000 selos

Área de desenho: 76 x 38mm

Dimensão do selo: 76 x 38mm

Picotagem: 11,5 x 11,5

Data de pré-lançamento: 18/7/2019

Local de pré-lançamento: Rio de Janeiro/RJ

Data de emissão: 20/7/2019

Local de lançamento: Rio de Janeiro/RJ

Impressão: Casa da Moeda do Brasil



Homage to the Immortals of the Brazilian Academy of Letters - ABL


About the Stamp

The photos of both Immortals of Brazilian Academy of Letters (ABL) were digitally adjusted to reflect a glint of golden tones. A central vibrant green ABL bookplate vector was incorporated and their names were written on identical banners with soft shadows to emphasize them. Similar tones were applied to the background, balancing and unifying the elements, creating a discrete whole that was carefully thought, from both the composition and color scheme standpoints.

The techniques used was photography and computer graphics.


Homage to the Immortals of the Brazilian Academy of Letters ABL

The Brazilian Post has the honor to pay homage through postage stamps to two of the immortal founders of chairs 23 and 27 of the Brazilian Academy of Letters (ABL), the illustrious of Brazilian Literature: Machado de Assis and Joaquim Nabuco. Machado de Assis Joaquim Maria Machado de Assis was a journalist, short story writer, novelist, poet and theatrologist, born in Rio de Janeiro on June 21th, 1839, and died in Rio de Janeiro on September 29th, 1908. He is the founder and occupier of the Chair 23 of the Brazilian Academy of Letters. As an old friend and admirer of José de Alencar, it was natural that Machado chose the name of the author of O Guarani to be his patron, even though he died twenty years before ABL foundation. He held the title of president of the Academy for more than ten years, causing the Academy to be also known as the “House of Machado de Assis”. The first book published by Machado de Assis was the translation of Queda Que As Mulheres Têm Para Os Tolos (1861). His first book of poems, Crisálidas, was published in 1864. In 1867, he was named assistant to the publication director of the Official Gazette (Diário Oficial). On November 12th, 1869, Machado de Assis married to Carolina Augusta Xavier de Novais, who was his perfect companion for 35 years. He collaborated with Revista Nacional and, from the group of intellectuals that met in the News room, arouse the idea of the creation of the Brazilian Academy of Letters, a project that Machado de Assis had supported since the beginning. He attended the preparatory meetings and, on January 28th 1897, when the Academy was installed, he was elected president of the Institution, to which he devoted until the end of his life. The work of Machado de Assis covers practically all literary genres. In poetry, it begins with the romanticism of Crisálidas (1864) and Falenas (1870), passing through Indianism in Americanas (1875), and Parnassianism in Ocidentais (1901). At the same time, the compilations of Contos fluminenses (1870) and Histórias da meia-noite (1873) were released; the novels Ressurreição (1872), A mão e a luva (1874), Helena (1876) and Iaiá Garcia (1878), were considered his romantic literary period. Since then, Machado de Assis entered the great phase of his masterpieces, which differs from any denomination in the literary school, and that made him the greatest Brazilian literary writers, and one of the greatest authors of the Portuguese language literature. The literary work of Machado de Assis was, during his life, edited by the Garnier Bookstore, since 1869. In 1937, W. M. Jackson from Rio de Janeiro published Obras Completas in 31 volumes. Raimundo Magalhães Júnior organized and published, by Civilização Brasileira publisher, the following volumes: Contos e crônicas (1958); Contos esparsos (1956); Contos esquecidos (1956); Contos recolhidos (1956); Contos avulsos (1956); Contos sem data (1956); Crônicas de Lélio (1958); and Diálogos e reflexões de um relojoeiro (1956). Joaquim Nabuco Joaquim Nabuco de Araújo was a writer and diplomat, born in Recife, Brazil, on August 19th, 1849, and died in Washington, USA, on January 17th, 1910. He attended the preliminary sessions of the Brazilian Academy of Letters (ABL) foundation, founder of Chair 27 within the institution, which has as patron Maciel Monteiro. He was named Secretary General of the Institution during January 28th, 1897 session, and held the position until 1899 and from 1908 to 1910. He was the son of Senator José Tomás Nabuco de Araújo and Ana Benigna Barreto Nabuco de Araújo. In 1865, he went to São Paulo, where he completed his first three years of Law school and graduated in Recife in 1870. He continued his education in London, then in Washington from 1876 to 1879. Attracted to politics, he was elected Deputy General of his province, and then came to live in Rio de Janeiro. His nomination to the Chamber marked the beginning of the campaign for Abolition, which soon became a national cause. From 1881 to 1884, Nabuco traveled through Europe and in 1883, in London, published O Abolicionismo. Upon his return to the country, he was again elected Deputy for Pernambuco, resuming a prominent position in the abolitionist campaign, which five years later was crowned with success. When the Republic was proclaimed in 1889, he remained with its monarchist convictions. He retired from the public life, dedicating himself to his work and study. In this phase of spontaneous separation, Joaquim Nabuco attended the editorial room of the Revista Brasileira, where he established relationships and friendship with Machado de Assis, whose conviviality would rise the Brazilian Academy of Letters in 1897. During this period, Joaquim Nabuco wrote two of his most important works: Um Estadista do Império, a biography of his father, but which was in fact the political history of the country in that period, and a memoir, Minha formação, a classical work in the Brazilian Literature. In 1901, he was accredited as ambassador of Brazil in London and, from 1905, in Washington. Great was his prestige before the American people and government. He died in Washington. His body was taken with exceptional solemnity to the cemetery of the American capital, and then he was transferred to Brazil, by the North Caroline cruiser.

Marco Lucchesi

President of the Brazilian Academy of Letters


Technical Details

Stamp issue N. 12

Art: Lidia Marina Hurovich Neiva/Correios

Photos: Academia Brasileira de Letras - ABL

Print system: offset

Paper: gummed chalky paper

Sheet with 12 stamps

Facial value: 2st class rate for domestic non-commercial mail

Issue: 120,000 stamps

Design area: 76 x 38mm

Stamp dimensions: 76 x 38mm

Perforation: 11.5 x 11.5

Date of pre release: July 18th, 2019

Place of pre release: Rio de Janeiro/RJ

Date of issue: July 20th, 2019

Place of issue: Rio de Janeiro/RJ

Printing: Brazilian Mint




88 visualizações

Filatelia é colecionar selos!

© 2020 por SOCIEDADE PHILATELICA PAULISTA

  • Instagram B&W
pwo-logo.gif