Lançamento | Emissão Postal Especial - Signos do Zodíaco: Peixes


Sobre o Selo

A arte do selo desta emissão foi elaborada com elementos que simbolizam o último signo do zodíaco: Peixes. No canto superior direito está seu ícone, representado por um par de peixes que nada em sentidos opostos e que se mantém unido por um cordão. Uma faixa na cor cinza e outra na cor azul delimitam o espaço onde está inserido o nome e o intervalo de tempo governado por Peixes. A faixa azul representa o elemento “água” – um dos regentes da natureza que caracterizam a personalidade dos nascidos nesse signo. Na porção central, a ilustração de dois peixes, e no meio deles, a representação de sua constelação. Foi utilizada a técnica de ilustração digital.


Astrologia

“Não me pergunte o que o céu pode fazer por você, mas de que maneira você há de se orientar para engrandecer o Universo com sua presença”, é com essa frase que, ao longo do tempo, encontrei a maneira de indicar às pessoas que a Astrologia não é o estudo de como o céu influencia os seres humanos, mas o conhecimento que nos ajuda a entender o lugar que ocupamos no colossal organismo inteligente que chamamos de Universo. Por meio dessa afirmação deixamos de lado o vício comum de nos eximirmos de nossas responsabilidades, pois, se não o fizéssemos, transferiríamos às virtudes e vícios dos signos do Zodíaco uma nova justificativa para afirmar que não teríamos opção sobre sermos como somos ou agirmos como agimos.

Nossos signos são a indicação de qual seria nossa serventia no Universo, o que responde a esse pressentimento nosso de que deve haver um lugar para nós no Universo, chamando a isso poeticamente de “missão”. Não se engane ninguém, porém, de que talvez seria suficiente nascer para cumprir essa “missão”. Não é! É preciso ir ao encontro dela, mesmo que orientados apenas por ideias vagas e imprecisas, mas que o estudo da Astrologia pode esclarecer e ajudar a utilizar.

É nessa linha de compreensão que os signos do Zodíaco se apresentarão a nós como verdadeiros portais cósmicos através dos quais se distribuem as potências cosmogônicas que concorrem para a criação, preservação e reintegração da realidade.

E, assim também, as pessoas que nascem em cada um dos signos podem encontrar neste parâmetro a identidade e a orientação sobre o lugar que ocupam no Universo. Com certeza, fazendo bom uso da Astrologia, chegaremos, um dia, a pensar em nós mesmos integrados ao Universo, muito diferente do que é agora, em que essa palavra Universo parece se referir sempre a eventos muito distantes e inatingíveis. Nós somos parte integrante do Universo e a Astrologia é o caminho que conduz a entender o que isso significa e a orientar sobre o melhor uso possível dessa condição.


Peixes


Neste signo se encerra o ciclo mediante o qual a consciência humana amadurece e compreende seu lugar no Universo.

Diante da imensidão e da complexidade de tudo que está envolvido, no signo de Peixes se experimenta a pressão constante da Vida sobre o ser humano, que se sente inadequado diante das maravilhas que pressente e que, por isso, na melhor das hipóteses, se rende ao que é maior e sacrifica seus anseios particulares em benefício das pessoas com que se relaciona, pretendendo ser um ingrediente de melhora constante do mundo.

Porém, não se pense que toda pessoa que nasce neste signo executa inclinações tão nobres, porque por aqui nascem também os rebeldes sem causa, aqueles que se levantam contra um destino que os faz sacrificar tudo que o movimento egoísta pretende e, por isso, passam o tempo derrubando todas as regras, usos e costumes, sem, no entanto, trazer nada de novo.

Neste signo, por isso, nascem pessoas de elevado entendimento, mas também seu oposto, mentalidades mesquinhas que dão trabalho, no pior sentido da palavra, a todas as pessoas com que se relacionam.

De uma forma ou da outra, quem é pisciano experimenta um cansaço, uma fadiga, porque viver na realidade objetiva do mundo lhe dá muito trabalho, lhe consome energia. Suas opiniões e gestos são sempre fora do comum, estimulam sentimentos que de outra maneira seriam muito raros de experimentar. Dizem que aqueles que são ou foram amados por alguém de Peixes, raramente conseguem superar essa experiência, tanto pelo aspecto sublime e elevado dessa, como também por terem transitado pelos mais retorcidos labirintos do inferno.

A entrada de uma pessoa pisciana na vida de alguém sempre acontece como encerramento de ciclo, ela vem a anunciar que uma grande etapa da vida vai embora para iniciar outro novo capítulo existencial.

Ser do signo de Peixes é sentir o chamado de explicar o inexplicável, se munindo de poesia para o fazer, mas não apenas isso, às vezes encontramos piscianos completamente pragmáticos, que abraçam a ciência e o raciocínio lógico na tentativa de não serem consumidos por esse oceano insondável que é a Vida. Ao contrário, se tornam destacados cientistas que descobrem maneiras novas de abordar problemas que, anteriormente, não puderam ser solucionados.

Peixes é o fim, porém, como o Universo trabalha através da continuidade, este fim anuncia um novo começo, uma nova imaturidade que crescerá através das experiências de uma nova ronda zodiacal.

Oscar Quiroga

Astrólogo, Psicólogo e Membro da Academia de Letras do DF


Detalhes Técnicos

Edital nº 3

Arte: Adriana Shibata

Processo de Impressão: ofsete + tinta especial prata

Papel: cuchê gomado

Folha com 24 selos

Valor facial: 1º Porte Carta Não Comercial

Tiragem: 240.000 selos

Área de desenho: 33 x 33mm

Dimensão do selo: 38 x 38mm

Picotagem: 11,5 x 11,5

Data de emissão: 20/2/2020

Local de lançamento: Brasília/DF

Impressão: Casa da Moeda do Brasil