Filatelia é colecionar selos!

© 2019 por SOCIEDADE PHILATELICA PAULISTA.

  • Instagram B&W
pwo-logo.gif

Lançamento Correios | Homenagem ao músico e poeta Renato Russo


A imagem do bloco com um selo apresenta uma foto, em preto e branco, que retrata o músico Renato Russo no palco, local onde ele melhor se realizava como artista, ao encenar performances cênicas que encantavam seu público, enfatizando com a expressão corporal, a poesia contida nas letras de suas músicas. Para a elaboração da arte, o título da emissão foi destacado, à esquerda. Na lateral direita, está transcrito um trecho da canção “Vinte e Nove”. Foi utilizada tinta calcográfica no título e no trecho da letra da canção. Foram utilizadas as técnicas de fotografia e computação gráfica.

Detalhes Técnicos

Edital nº 3

Bloco com 1 selo

Foto: Ricardo Junqueira

Arte-finalização: Daniel Eff/ Correios

Processo de Impressão: ofsete + tinta calcográfica

Papel: cuchê gomado

Valor facial: 2º Porte Carta Comercial

Tiragem: 70.000 blocos

Área de desenho: 38 x 76mm

Dimensão do selo: 38 x 76mm

Dimensão do bloco: 137 x 85mm

Picotagem: 11,5 x 11,5

Data de emissão: 27/3/2019

Locais de lançamento: Brasília/DF, Recife/PE e São Paulo/SP

Impressão: Casa da Moeda do Brasil


Homenagem ao músico e poeta Renato Russo


No dia 27 de março de 2019, o cantor e compositor Renato Russo completaria 59 anos de idade. Em sua homenagem, os Correios emitirá um Selo Postal Especial a este grande artista brasileiro. Essa honraria ao artista multimídia foi definida pela Comissão Filatélica Nacional (CFN), a partir de mais de 700 sugestões recebidas da população e homologada, em agosto de 2018, pelo Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC). O selo Renato Russo é mais uma interatividade que consolida o acervo de memórias do artista como um clássico da cultura nacional e mais uma bela iniciativa voltada aos milhões de admiradores desse imortal da música popular brasileira.

A imagem que ilustra o selo demonstra o carisma incomparável e a forma contagiante de se apresentar nos palcos. Elementos que o tornou admirado pelos mais diversos públicos. Pais e filhos e, mais recentemente, avós e netos ouvem e se identificam com Renato Russo. As letras, de tão geniais, o imortalizaram como líder de gerações. O maior ídolo do rock brasileiro ainda é um fenômeno cujo sucesso não para de crescer. Renato Russo e sua banda Legião Urbana se mantêm no topo das paradas de sucesso e, num movimento ascendente, continua conquistando apreciadores e seguidores como se, mais do que nunca, estivesse vivo.

O selo apresenta um trecho da canção Vinte e Nove: “Quando você deixou de me amar aprendi a perdoar e a pedir perdão / e vinte e nove anjos me saudaram e tive vinte nove amigos outra vez”. A letra foi composta por Renato Russo e lançada no álbum O Descobrimento do Brasil, em 1993. Antes da sua Legião Urbana, Renato Russo se apresentava, em Brasília, primeiramente, com a banda Aborto Elétrico (1978/1981) e depois, sozinho, como Trovador Solitário (1982). Anos depois, Renato também lançou carreira solo com o álbum The Stonewall Celebration Concert (1994). Em seguida, lançou Equilíbrio Distante (1995), interpretando canções italianas.

Visionário, desde que iniciou a carreira artística, em 1978, Renato mostrou sua extraordinária capacidade de traduzir sentimentos em palavras. Foi naquela época, com a formação inicial do Aborto Elétrico, que compôs o sucesso “Que País é Esse?. O hit, sempre relembrado pelos admiradores, ganhou novo fôlego na voz de multidões que tomaram as ruas nas manifestações iniciadas em 2013, e se tornou um verdadeiro hino, uníssono, em defesa das causas sociais. O refrão é, constantemente, citado em artigos, editoriais, reportagens, discursos de autoridades e nas redes sociais, demonstrando adaptação aos novos contextos da contemporaneidade.

À frente da produtora que administra o legado de Renato Russo, a Legião Urbana Produções Artísticas, o filho do cantor, Giuliano Manfredini, disse que a emissão deste selo é mais um importante item que passará a compor o amplo material que reconstrói a trajetória do artista. “Eu fiquei muito contente ao receber esta proposta dos Correios por que o meu trabalho é, sobretudo, preservar a memória do meu pai, e este selo, além de ser uma bela homenagem a ele, no dia em que faria aniversário, será mais uma forma de os admiradores do seu vasto legado poderem sempre lembrar de sua força e manterem a centelha acesa”, comentou Giuliano.

A força criativa desse gênio da música brasileira é tamanha que embora esteja completando 23 anos de sua “ausência”, a sensação é que ele nunca deixou de estar presente, e estará ainda mais próximo dos brasileiros e dos amantes da filatelia com a emissão deste selo especial. Renato, de sobrenome Manfredini Júnior, nasceu na madrugada de 27 de março de 1960, no Rio de Janeiro, e teve seu destino interrompido na madrugada do dia 11 de outubro de 1996, também no Rio de Janeiro. Mas a sua partida não calou a voz desse artista, que se tornou um imortal da música popular brasileira. A potência estética das construções poéticas de suas letras, o eternizou de tal forma que as palavras musicadas continuam provocando emoções, sentimentos e produzindo nos amantes de suas canções novos sentidos, o que faz com que a sua obra sagrada se renove a cada experiência sonora.

Murilo Caldas – Jornalista


22 visualizações