História de uma carta - Guerra de Secessão dos Estados Unidos | Klerman Lopes

Atualizado: Mar 30

Klerman Wanderley Lopes - junho de 2011

Introdução:

A chamada Guerra de Secessão dos Estados Unidos, entre 1861 e 1865, confrontou 11 Estados Confederados do Sul, cuja produção eminentemente agrícola era embasada no trabalho de escravos oriundos da África, com os Estados do Norte, já bastante industrializados. A guerra, que custou a vida de cerca de 970.000 pessoas (cerca de 3% da população estadunidense na época) implicou em enorme consumo de metais para a fabricação de armamentos. Além da guerra em si, a carência de metais também afetou os Serviços Postais, levando as autoridades a estimular o pagamento dos portes de correio com moedas, onerando as tarifas pagas com papel-moeda. Esse duplo regime de tarifa persistiu por muitos anos após o término do conflito.


Para ilustrar essa curiosidade postal, apresentamos interessante carta em que esse porte diferenciado foi aplicado:

Apresentação de peça filatélica:

Frente:

Verso:



Descrição:

Carta do Rio de Janeiro para os Estados Unidos, de 30 de janeiro de 1870, transportada pelo navio “Amazone”, das “Méssageries Impériales”. Franqueada com 200 réis em selos brasileiros, quantia insuficiente para o pagamento do porte simples vigente de 540 réis para os Estados Unidos (até 7,5gr), pelo correio inglês ou francês. Assim, a franquia foi considerada como insuficiente e o carimbo oval dessa marca foi aplicado na frente, sujeitando a carta ao pagamento integral do porte no destino. O “Amazone” aportou em Bordeaux em 27 de fevereiro e a carta foi recebida em Paris no dia seguinte. Ali a carta foi considerada como de porte duplo (entre 7,5 e 15 g), recebendo a anotação manuscrita “2”, o carimbo de entrada “Brésil / 2 Bordeaux 2” e a marca de intercâmbio franco-britânica “FR/2F96c”. Encaminhada à América pelo Correio Inglês, transitou em Londres em 1º de março. Na chegada a New York em 15 de março, a carta recebeu o carimbo de taxa de 38 cents (em papel-moeda) e a anotação manuscrita “32”, valor a ser reembolsado pelos serviços postais britânicos e franceses.


Comentário adicional:

Quando a carta chegou à França, a Convenção França-Estados Unidos não estava mais em vigor (desde 31 de dezembro de 1869) e a Convenção Franco-Britânica foi utilizada para obter obter o reembolso pelo transporte da carta até a França, visto a marca de 2º porte e a marca de intercâmbio aplicadas em Paris. A carta foi encaminhada a New York sob as condições da Convenção Estados Unidos-Inglaterra de janeiro de 1870. Segundo os seus termos o Correio Americano deveria pagar ao Correio Britânico (por cada 1/2 onça de peso) 2 cents pelo trânsito britânico e 2 cents pelo transporte transatlântico, acrescido de 28 cents pela tarifa devida à França (duplo porte = 1 Fr 48 c). Portanto, o total a ser reembolsado ao Correio Inglês era de 32 cents (manuscrito na frente). De acordo com a Convenção de 1870, o Correio Americano deveria cobrar 2 cents pela distribuição interna, perfazendo a tarifa total de 34 cents em pagamento em moeda-metal ou 38 cents em papel-moeda.


Artigo gentilmente cedido pelo autor.

33 visualizações

Filatelia é colecionar selos!

© 2020 por SOCIEDADE PHILATELICA PAULISTA.

  • Instagram B&W
pwo-logo.gif