Dia do Selo Postal Brasileiro: 1º de agosto

Maurício Melo Meneses


A paixão pela filatelia nasceu na minha interpretação que os selos podem trazer narrativas de forma lúdica e eternizarem momentos históricos


O termo “filatelia” é constituído pelas palavras gregas philos, que significa amigo ou o que ama, e telos, que corresponde a tributo ou imposto. A técnica complementa um texto de forma lúdica, visto que um selo tem muitos significados e enriquece qualquer trabalho – o Brasil foi o segundo país do mundo a adotar o selo postal, devido ao decreto assinado por D. Pedro II, imperador do território brasileiro de 1840 até 1889.

Desde a juventude, sempre fui um apreciador da filatelia. Seu papel social é tão importante que foi instaurado, em 1843, uma data que homenageia a emissão do primeiro selo postal pelos correios brasileiros: 1o de agosto. Eles se destacam como um valioso instrumento de representação de diversas áreas de atuação profissional, considerados fundamentais no ensino e aprendizagem. A arte de colecioná-los envolve entretenimento cultural e ciência genuína.


Contemplando um projeto pedagógico em 128 páginas, que integra leitura, escrita e história, “Rondon, o marechal da paz – A vida de um herói nacional contada por meio da Filatelia” é a obra de minha autoria sobre o grande defensor da causa indígena e o responsável pela unificação brasileira. Graças a ele, houve a ampliação da rede telegráfica do Brasil, num período em que este era o principal meio de comunicação. Rondon ficou conhecido, também, pela sua frase “Morrer se preciso for, matar nunca”. Em exposição no Canadá, fui premiado pelo livro.

Além de marechal Rondon, também escrevi “Cristianismo Reformado – Uma História Contada por Meio da Filatelia” com uso de selos. Busco destacar que, embora a Reforma Protestante se fez por meio de trajetórias individuais, também seria verdade que ela se integra a um contexto mais amplo que da história da Europa e da igreja cristã.


Maurício Melo Meneses é membro do Conselho Deliberativo do Instituto Presbiteriano Mackenzie e autor da obra “Rondon, o marechal da paz – A vida de um herói nacional contada por meio da Filatelia”, da editora Mackenzie.

31 visualizações0 comentário